A importância dos 1000 dias

Mas afinal , o que são os 1000 dias?

1000 dias é o período compreendido entre o início da gestação até os 2 anos de idade .

Os cuidados com o bebê começam muito antes dele nascer. O intuito deste artigo é tentar mostrar alguns dos muitos fatores que interferem no desfecho de saúde e no desenvolvimento de doenças futuras .

A nutrição materna durante a vida fetal tem impacto não só ao nascimento, mas na resposta dessa criança no risco de desenvolvimento de doenças futuras , como diabetes, hipertensão, obesidade,dislipidemias ,dentre outras.

A dieta da gestante deve ser equilibrada em termos de calorias, gorduras, proteinas, carboidratos , vitaminas e minerais.

Em especial a gordura, que é o nutriente mais variável no leite materno e depende diretamente da ingestão de alimentos como a sardinha,que contem altos níveis de DHA, e que deve ser estimulado na gestação.

Essa substância, está intimamente relacionada com o desenvolvimento estrutural e funcional do SNC, e já é comprovado seu efeito benéfico sobre o desenvolvimento cognitivo e visual.Cerca de 80% do desenvolvimento neurológico ocorre até o terceiro ano de vida.

Do mesmo modo, quando o feto se adapta à uma deficiência nutricional materna, esses ajustes metabólicos podem acarretar uma maior chance de desenvolver doenças cardiovasculares e doenças metabólicas.

Além de equilibrada, a dieta deve ser variada. Estudos recentes, revelaram que uma dieta variada por parte da gestante, modificam as características do líquido amniótico, e isso confere ao bebê que vai nascer uma melhor aceitação de alimentos novos no futuro.

Do mesmo modo, a mãe que está amamentando, e tem essa característica de alimentação diversificada, vai alterando o sabor do leite materno, reforçando essa característica de aceitabilidade futura por parte do bebê.

Outros fatores , como o tipo de parto, podem modificar essa resposta por parte dos sistemas imunológicos do bebê, e estudos relacionam o parto cesárea com uma maior possibilidade de desencadeamento de fenômenos alérgicos, principalmente em indivíduos com predisposição genética.

O ato de ler para o bebê e para as crianças, também tem efeito positivo sobre o desenvolvimento cognitivo e deve ser incentivado precocemente.

O leite materno é rico em prebióticos, que acabam sendo "alimento" para as bactérias saudáveis que vivem no intestino do bebê e desse modo, acabam se somando aos outros fatores protetores que ele proporciona.Essa característica influi positivamente sobre a imunidade do bebê.

Muitas mães não podem ou conseguem amamentar e  atualmente temos opções de fórmulas infantis que tentam se assemelhar o máximo possível ao leite materno, inclusive com complementação de várias dessas substâncias referidas aqui. Mesmo assim, devemos enfatizar a importância do aleitamento materno como fator protetor e de desenvolvimento(físico, intelectual e imunológico).

Compartilhar!

    No Comments Yet.

    Leave a comment

    You must be Logged in to post a comment.