ATIVIDADE DE SEREIAS PODE PROVOCAR AFOGAMENTOS

Recentemente circulando por todo mundo das piscinas, uma nova modalidade de atividade em piscina, chamada de natação sereia, onde o aluno aprende como usar uma cauda com nadadeiras em piscina.

A nova atividade proposta simboliza o mistério, a beleza, a sensualidade e a inovação de uma nova atividade na água, mas não pontua os riscos de tal atividade, que principalmente em mãos inexperientes ou mal informadas pode levar ao afogamento e este a morte.

Alguns países, como Austrália e Canadá, providenciaram a proibição da modalidade em lei. Obviamente isto afeta principalmente as crianças, já que o produto esta sendo comercializado em lojas, como nadadeiras coladas ou com o rabo de sereia.

 

 

Segundo a Profa Ester Mendes,da Metodologia Gustavo Borges, é importante destacar que nadar com este equipamento é uma atividade de alto grau de dificuldade. Em geral, as sereias que vemos nas apresentações de parques aquáticos, em filmes ou em eventos festivos, são nadadoras bastante experientes, acostumadas à prática da apneia e à realização de habilidades aquáticas mais complexas, como as utilizadas no nado sincronizado. Mesmo assim, elas ainda treinam bastante com a cauda de sereia antes de se apresentar em público.

A Aliança PISCINA+ SEGURA entende como muito importante ALERTAR para as razões que levam tal atividade e produto aos riscos de afogamento.
• Para quem não sabe nadar ou está em aprendizado o risco está associada ao fato de os pés estarem unidos a cauda ou as nadadeiras,implicando em dificuldade corporal para ficar novamente em pé dentro da água.
• Para quem sabe nadar, além de sofrer o mesmo risco de desequilíbrio com o traje ou a nadadeira dentro da água, a tentativa de ficar mais tempo submerso pode eventualmente provocar o apagamento, que levará a morte se não socorrido imediatamente.
• O fato da atividade promover o uso de longos cabelos e soltos, aumenta o risco de sucção pelo ralo da piscina.
• Em crianças, a pratica desta atividade ou uso de nadadeiras deste tipo necessita de supervisão experiente e atenta e não somente a presença de pais no recinto da piscina.

No Brasil o afogamento é a segunda causa de morte em crianças de 1 a 9 anos de idade e a terceira entre 10 e 19 anos. A campanha PISCINA+SEGURA foi criada para reduzir os afogamentos. As piscinas são responsáveis por 53% de todos os casos de óbitos por afogamento na faixa de 1 a 9 anos de idade.Ajude-nos a reduzir os afogamentos.

Fonte: http://www.sobrasa.org/alianca-piscinasegura-alerta-o-mar-esta-para-peixe-mas-as-piscinas-nao-estao-para-as-sereias/

Daniela Vinhas Bertolini - CRM 85228

Compartilhar!

    No Comments Yet.

    Leave a comment

    You must be Logged in to post a comment.